Fique de olho nas dicas sobre perfuração de poço artesiano!

Adquirir um serviço de perfuração de poço artesiano nem sempre é uma tarefa fácil e às vezes pode levar anos para que ocorra a tomada de decisão de contratar a empresa certa.

É preciso ter ciência que por lei, a água que está em um empreendimento, terreno ou área não é de quem a utiliza! Os órgãos ambientais emitem uma licença de outorga permitindo a utilização da água por um tempo determinado.

Em algumas localidades já há a cobrança pelo uso da água e fica sob responsabilidade do usuário o tratamento, destinação adequada do efluente gerado e preservação do meio ambiente subterrâneo.

Hoje, vamos listar 5 dicas para que a obra de perfuração de poço artesiano não seja um filme de terror. Acompanhe!     

Fique de olho nas dicas sobre perfuração de poço artesiano!
Fique de olho nas dicas sobre perfuração de poço artesiano!

1. Faça uma avaliação hidrogeológica preliminar

A execução deste trabalho técnico revela as possibilidades de captação de água subterrânea na localidade de uso da água. É um trabalho personalizado que irá esclarecer quais as chances de obter água naquele local e quais serão o volume e a vazão estimados para a região em estudo.

Neste serviço cruzaremos as necessidades e anseios de uso da água versus as possibilidades de captação de água subterrânea disponível para sua região.

É neste momento que o Projeto de Execução do Poço e Planilha Orçamentária são elaborados. Com isso, surgem os elementos para que as empresas de perfuração orcem os serviços que serão prestados.

2. Contrate primeiro a Licença de Perfuração

Com a avaliação hidrogeológica e orçamentos em mãos já é possível partir para o primeiro contato com os órgãos ambientais através da solicitação da Licença de Perfuração. Cada estado brasileiro possui leis e comitês de bacias regionais que gerenciam e emitem as Licenças de Perfuração e Outorgas de Uso.

Este licenciamento normalmente é moroso e, dependendo do estado, pode levar meses para conseguir a publicação da autorização de perfuração no Diário Oficial. Por isso, esses procedimentos iniciais devem ser planejados com antecedência para não atrapalhar o cronograma.

Pelas leis vigentes, somente após a publicação no Diário Oficial é que as obras de perfuração de poço tubular profundo poderão começar.

3. Contrate uma empresa registrada no CREA

A atividade de perfuração de poços artesianos somente pode ser exercida por empresas especializadas e devidamente registradas no Conselho de Engenharia e Arquitetura (CREA) de seu estado. Exija uma cópia simples do certificado de registro da empresa, este documento é gratuito.

Outra forma de se resguardar quanto à capacidade técnica da empresa que você está contratando é exigir a apresentação dos Acervos Técnicos (uma cópia simples ou mesmo digitalizada) emitidos pelo CREA, de obras similares ou de maior complexidade que o projeto que será contratado. Assim você saberá se esta empresa já executou (e principalmente se concluiu) obras de complexidade similar.

As empresas de perfuração mais preparadas irão te apresentar inúmeros atestados; isto é como apresentar uma carta de boa referência ou currículo, solicite ao menos seis atestados. Isto não tem custo algum e caso ela não te apresente nenhum é muito provável que não tenha! Fica a dica.

Quer encontrar empresas de perfuração de poços artesianos? Acesse o Portal dos Poços

4. Mantenha os documentos em sua posse

Após a conclusão da obra de perfuração de poço artesiano, para que seja possível entrar com o pedido de Outorga de Uso, é necessário juntar alguns documentos e relatórios para apresentar aos órgãos fiscalizadores.

Cada estado brasileiro tem seu departamento e procedimentos para solicitação das outorgas, no entanto, você deve verificar quais são as exigências do seu estado. Geralmente são solicitados:

  1. Ficha de Solicitação de Licença de Outorga de Uso;
  2. Cópia da Licença de Perfuração;
  3. Relatório Final Construtivo do poço;
  4. Relatório de Teste de Vazão;
  5. Análise de água, conforme portaria 2914;
  6. Mapa de Localização;
  7. Relatório Fotográfico;
  8. Ficha CNPJ;
  9. RG/CPF do representante legal;
  10. Anotação de Responsabilidade Técnica (ART).

A Licença de Outorga e Uso possui prazo de validade (geralmente cinco anos), fique atento para solicitar a renovação com antecedência, evitando o cancelamento.

5. Faça o monitoramento dos dados e mantenha histórico de nível e vazão

Após a perfuração de poço artesiano, é preciso se atentar a alguns detalhes como o monitoramento dos parâmetros de nível e vazão de poços artesianos que já é uma exigência na maioria dos estados brasileiros. Existem duas maneiras de realizar esse monitoramento: manual e automática.

De forma manual, você precisará de um medidor de nível de fita e o cavalete do poço deve estar equipado, no mínimo, com um hidrômetro. Nesta modalidade, você deverá preparar as planilhas e relatórios manualmente, coletar os dados de nível estático e dinâmico do poço, volume e vazão (geralmente com frequência diária/semanal), não se esquecer de anotar todo início de mês o valor da leitura do hidrômetro, elaborar relatórios, armazenar as informações e enviar mensalmente cópias para o fiscal do poço.

Mas existe também a forma automática: ao utilizar a solução Hidroview com os sensores de nível e vazão apropriados para o seu caso, você tem dados em tempo real sobre o poço na palma da mão. O armazenamento das informações é feito dentro de um banco de dados criptografado, o que oferece total segurança. Além disso, as informações são hospedadas na nuvem, onde são processadas e disponibilizadas em relatórios padronizados e prontos para impressão. Com este serviço você economiza recursos humanos, registra ganhos em produtividade e eficiência financeira, já que o Hidroview gera redução de custos.

Quer saber mais? Entre em contato com a equipe G Hidro!

Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.