Telemetria de Água Mineral - Por que e como fazer?

Telemetria de água mineral é um tema que está ganhando destaque nos últimos tempos, afinal, além de ser um assunto que tem certa urgência em ser abordado, recentemente foi aberta uma consulta pública na Agência Nacional de Mineração com essa temática.

Ao realizar o convite para que a sociedade pudesse contribuir, a ANM destacou da seguinte forma: A abertura deste processo de participação social (PPCS), no formato de Consulta Pública, sobre o tema “Conformidade em Sistemas de Telemetria para Acompanhar a Lavra da Água Mineral”, tem por objetivo obter contribuições da Sociedade, do Setor Regulado e dos demais Órgãos Públicos, acerca da especificação para a aplicação da telemetria, como importante ferramenta de auxílio na gestão da informação desse recurso mineral.

Hoje vamos falar um pouco mais sobre telemetria de água mineral e quais são as novas exigências do setor. Confira! 

Por que fazer telemetria de água mineral? 

Podemos iniciar dizendo que a telemetria de água mineral não é necessariamente uma novidade para quem atua na área. 

Segundo Yuri Faria Pontual de Morais, gerente de Política Regulatória da ANM, o uso de tecnologia é positivo para as operações. Veja o que ele tem a dizer: “A telemetria já é hoje um requisito legal para a operação de lavras de água mineral, mas notamos que existem dificuldades de operacionalização desse sistema nos parâmetros atuais. A intenção da ANM é garantir a aplicação das tecnologias mais modernas, garantindo a gestão da informação eficiente de um recurso mineral que tem se tornado foco de preocupação no Brasil e no mundo”. 

Na conhecida Portaria DNPM 374/2009, no item 4.3.2 o monitoramento da água por meio de sensores telemétricos é abordado. Confira! 

  • Todo poço deverá possuir um Ante-poço para proteção sanitária (tubo de boca), construído em chapa de aço de pelo menos 3/16” de espessura. Em ambiente sedimentar, o mesmo será assentado em uma profundidade mínima de 10 metros, enquanto que em ambiente cristalino ou similar, a profundidade será definida em função da espessura do manto de alteração. O poço deverá possuir também um sensor de temperatura da água e espaço anular em torno da bomba superior a 1 (uma polegada), bem como sensores telemétricos para monitoramento dos níveis estático e dinâmico, da condutividade e da vazão.

No entanto, chegaram muitos relatos de dificuldade de operacionalizar o que é solicitado já que pode haver inconsistências e inconformidades na captação dos dados. 

Outro ponto abordado é que não havia um acompanhamento por parte do DNPM em relação a telemetria de água, porém a ANM quer aplicar mudanças neste quesito. 

Sabemos que telemetria e gestão de água mineral é uma ação que além de atender às exigências dos órgãos ambientais, está se tornando cada vez mais necessária, afinal,  gerenciamento e otimização de operações gera inúmeros benefícios como segurança, eficiência e economia de recursos. 

Para realizar gestão de recursos hídricos é fundamental ter em mãos informações importantes sobre a operação, pois sem dados não é possível tomar decisões com segurança.  

Como atender o que a ANM solicita? 

Na minuta de resolução da ANM 2325071 de 22 de março de 2021 foi definido que o documento abordaria os procedimentos de operacionalização do sistema de telemetria e padronização de aquisição e envio dos dados telemétricos na lavra de água mineral e potável de mesa. 

A Agência Nacional de Mineração aponta que a telemetria de água mineral é uma ação que visa otimizar a gestão da operação e também de informações dos recursos minerais. 

Com o olhar voltado para esta questão, a proposta da ANM aborda os seguintes pontos: 

• Estabelecimento dos parâmetros mínimos a serem adquiridos;

• Padronização e consolidação dos dados adquiridos em campo;

• Estabelecimento de um nível de conformidade, a ser atendido pelos titulares quanto a aquisição e envio dos dados à ANM;

• Forma de envio dos dados à ANM; e

• Prazo de confidencialidade dos dados, para que estes cumpram sua função informativa perante a sociedade, academia e interessados em geral.

Tecnologia é a chave para cumprir o que a ANM solicita, afinal, se muitos segmentos já avançaram na questão tecnológica, empresas que atuam no ramo de recursos hídricos – um bem que contempla toda a sociedade – também deve estar atenta aos benefícios que este tipo de atualização gera. 

Quando falamos sobre água mineral, o gerenciamento completo da operação é fundamental para a segurança e qualidade do resultado obtido, por isso, nos empenhamos para desenvolver o Hidroview – nossa plataforma de gestão e monitoramento de água e energia – com funcionalidades que atendam às demandas deste segmento. 

Como a G Hidro pode ajudar? 

A G Hidro Monitoramento é uma empresa de tecnologia com foco em soluções para gestão e telemetria de água e energia. 

Temos uma equipe com muita vivência nesta área e desenvolvemos uma tecnologia 100% nacional com o objetivo de difundir o monitoramento e gerenciamento destas grandezas. 

Com as exigências da ANM e avanço dos pontos de observância, a G Hidro se coloca mais uma vez à disposição para apoiar usuários, consultores, órgãos reguladores, desenvolvedores de hardwares e de softwares que atuam ou pretendem atuar com telemetria de água mineral. 

Nossa equipe está pronta para trabalhar em conjunto e atender todas as demandas do mercado de água mineral. Para saber mais sobre telemetria de água mineral por meio de tecnologia e conectividade, fale conosco! 

Vamos bater um papo sobre o assunto, sobre as novas diretrizes da ANM, como fazer telemetria de água mineral, apresentação de como são os relatórios gerados pela plataforma e muito mais. Preencha o formulário de contato ou clique aqui para enviar uma mensagem por Whatsapp! 

Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.